×
Previsão no Varejo durante a Copa do Mundo

Previsão no Varejo e Copa do Mundo

Previsão no varejo é a estratégia vencedora para garantir o sucesso na Copa do Mundo!

Com o início da Copa do Mundo de 2018 na quinta-feira, dia 14 de julho, cerca de 60.000 mil brasileiros estão com viagem marcada para a Rússia (cf. G1). Dado que os varejistas estimam um aumento nas vendas de 7,9% (cf. CNC), movimentando cerca de R$ 1,5 bilhão, parece que o clima de Copa do Mundo não desapareceu do país do futebol. A questão, então, é: as empresas poderão estar confiantes de que seus processos de previsões no varejo estarão à altura do desafio?

Na terra do futebol pentacampeão

Enquanto os torcedores de futebol ao redor do mundo se preparam para o grande evento, os torcedores no Brasil estão arrumando seus próprios rituais de pré-Copa: comprando novos televisores e se preparando para aumentar o consumo de petiscos e cervejas! Eventos como o da Copa do Mundo proporcionam aos varejistas um aumento nas vendas. Afinal, a Copa do Mundo é a desculpa que muitos entusiastas por futebol têm para beber um pouco mais de cerveja do que o habitual.

Ultimamente, com demanda ainda se recuperando, há sempre o inevitável risco de que as expectativas não se confirmem de modo algum! O que será consumido nos dias em que a seleção brasileira jogar às 9h da manhã? Será que a seleção vai passar pelas oitavas? São tantos os riscos que os varejistas têm que considerar que tais os levam a considerar dois desafios reais:

1) Garantir que há níveis de estoque suficientes suprir as demandas em dias de jogos
2) Mitigar o risco de excesso após o término da Copa do Mundo (ou ainda pela desclassificação prematura da seleção do Brasil)

Eventos tais como a Copa do Mundo apresentam às empresas desafios reais: por um lado, varejistas não querem deixar torcedores desapontados com falta de estoque; e, por outro, não querem ficar com uma quantidade enorme de excesso de estoque ao final da competição, especialmente se tais produtos foram confeccionados especialmente ou estilizados sob medida para a Copa do Mundo.

Não é apenas com aumento geral na demanda que os varejistas precisam se preocupar: a demanda também variará enormemente entre diferentes canais e locais, bem como diariamente. Com isso em mente, os varejistas têm tanto a questão de saber se têm estoque suficiente quanto em quais lojas se deve alocá-lo!

Com a demanda tão incerta, como é possível prevenir que as operações de sua empresa fiquem comprometidas a esse ponto?

A previsão de varejo é um jogo de dois lados: demanda sazonal vs. eventos especial de demanda

Com a estimativa de crescimento da demanda durante a Copa do Mundo de 2018, é fácil deixar-se levar pelo otimismo do aumento de vendas. No entanto, é importante ter em mente que muitos dos produtos relacionados à copa do mundo também estarão expostos a algum nível natural de sazonalidade.

Tomando como o exemplo a cerveja: os varejistas esperam ver um pico na demanda durante o final de semana, quando os consumidores se sentam e relaxam após uma semana árdua de trabalho. Essa é a demanda padrão. Entretanto, com a aproximação do inverno e dos dias mais frios, os consumidores estão menos dispostos a se sentarem ao ar livre e tomar cerveja. Pesquisas indicam que cerca de 50% do consumidores têm suas decisões de compra em função do clima: um fato que pode explicar tal desvio sazonal.

Entretanto, com a Copa do Mundo na iminência de ocorrer, tal comportamento de demanda tende a se tornar ainda mais volátil. Para ficar ainda mais complexo, muitas das partidas ocorrerão durante a semana e em horários matinais. Assim, com a seleção do Brasil jogando no domingo, dia 17/06, na sexta, dia 22/06, e na quarta, dia 27/06, os varejistas precisarão se planejar muito bem para garantir que se alcance os níveis certos de estoque para satisfazer a demanda tanto sazonal quando a de evento especial!

O jogo só acaba no apito final

Gerenciar um só evento é cansativo o suficiente. Mas o problema com a Copa do Mundo é que ela é, para efeito de previsão, uma série de vários eventos individuais. Além disso, ninguém tem visibilidade sobre esses eventos. Afinal, o que acontecerá se a seleção canarinho chegar à final? Ainda mais importante, o que acontecerá se a seleção não passar da fase de grupos?

Ambos os cenários podem ter um grande impacto da demanda. No caso do Brasil surpreender e avançar pela competição, os varejistas terão que lidar com um volume cada vez maior da demanda enquanto a seleção joga um total de 7 jogos. Ainda, se o Brasil frustrar os torcedores com sua atuação, os varejistas terão apenas que cobrir uma demanda de só 3 jogos. Com isso em mente, a pergunta importante a ser respondida é: vale a pena investir em estoque adicional?

Nunca subestime a importância de manter os dados limpos

Em meio a toda a empolgação, os varejistas podem facilmente perder de vista a “verdadeira” fonte de demanda. O problema aqui é que demanda sazonal e demanda de eventos especiais se tornam virtualmente indistinguíveis. Dado que a Copa do Mundo ocorre apenas uma vez a cada quatro anos, os níveis de demanda de que os varejistas desfrutam neste evento dificilmente se repetirão até que a próxima Copa do Mundo de 2022.

Quando se trata de previsões de varejo para o próximo ano, os varejistas dependerão do histórico de vendas deste inverno. Consequentemente, se não forem tomadas medidas para "limpar" os dados agora, isso fornecerá uma imagem irreal da demanda antecipada: um problema que resultará em excesso de pedidos e excesso de estoque!

Qual varejista levará para casa o troféu da competição?

Não há dúvida de que as equipes da cadeia de suprimentos estão sempre sob grande pressão para assegurar que as operações estejam bem alinhadas para garantir o sucesso antes, durante e depois de um evento especial! Será interessante ver quais varejistas terão sucesso durante a copa do mundo deste ano!

Com apenas uma semana até o grande evento, que passos você deu para preparar o seu negócio para a copa do mundo? Nós gostaríamos de ouvir!


Veja as soluções que a Slimstock tem à disposição da sua empresa para controle e otimização de estoques.

TOPO