Selecione sua localização para ver o conteúdo específico para seu país

x

Efeito Chicote Na Cadeia De Suprimentos

Não importa qual seja o negócio, há sempre a necessidade de estimativas futuras para o planejamento. Entender o efeito chicote é crucial.

Não importa qual seja o negócio, há sempre a necessidade de estimativas futuras para o planejamento. No entanto, em um nível mais finito, pode ser crítico examinar mais detalhadamente como a precisão de uma estratégia de previsão afeta outras partes do processo de planejamento. Essa perspectiva revela como diferentes estratégias de previsão afetam os níveis de estoque de segurança e os reabastecimentos. Examinando como um sistema de planejamento responde a situações semelhantes, é possível expor algumas deficiências que limitam a capacidade de atingir níveis ótimos de estoque.

Na maioria das áreas de negócios, a previsão carrega uma expectativa comum em relação ao crescimento da receita. É fácil entender o motivo da precisão ser relevante nesse caso, no entanto, para fins de planejamento da oferta, onde decisões baseadas em custos estão sendo tomadas, a necessidade de precisão absoluta pode ser ligeiramente divergente.

A diferença crítica para o planejamento da oferta é que uma previsão serve como uma das várias entradas para tomar decisões:  quanto fazer ou quanto comprar. Dados de entrada (inputs), como tamanhos de lotes, estoque de segurança e lead time, ajudam a estabilizar e proteger os planos de fornecimento contra mudanças rápidas causadas pela flutuação das demandas dos clientes. Sem esses inputs, a manufatura pode enfrentar desafios significativos para atender às expectativas dos clientes a tempo –  tentar combinar a oferta com a demanda pode resultar em uma operação menos eficiente se a empresa não tiver flexibilidade para responder rapidamente.

Desses inputs, o estoque de segurança é o mais fácil de gerenciar. Para superar o desafio de não conseguir igualar exatamente a oferta com a taxa, a magnitude e o momento da demanda, as empresas muitas vezes “desacoplam” ou “amortecem” a relação entre demanda e oferta com estoque de segurança. O estoque de segurança é usado para minimizar o efeito de grandes oscilações que, de outra forma, poderia resultar quando as vendas e os tempos de entrega são inconsistentes. No entanto, uma suposição chave é que, quanto mais preciso se é para prever vendas, menos estoque de segurança é necessário. Quando se coloca essa suposição em teste, pode-se descobrir resultados surpreendentes. Estudos mostram que um modelo de previsão que sistematicamente persegue a demanda pode, na verdade, produzir um sinal de demanda mais nervoso e um estoque de segurança potencialmente mais elevado.

Embora deva ser notado que a simulação foi limitada a menos de 10 exemplos, e de forma alguma constitui uma observação acadêmica, recomendamos o teste dessa suposição em sistemas de planejamento. Na simulação, foram utilizados diferentes métodos para determinar os níveis de estoque de segurança. Enquanto um método usava a diferença entre as vendas previstas e reais para determinar o estoque de segurança, o outro método comparava as vendas reais às vendas reais normalizadas. Ambos os métodos foram utilizados na simulação, respectivamente, para uma dada estratégia de previsão.

Os exemplos a seguir demonstram a diferença entre previsão e estoque de segurança usando ambos os métodos. O método de previsão no gráfico da esquerda persegue a demanda, tentando prever com precisão qual deve ser a demanda do próximo período. O método de estoque de segurança usado neste exemplo é baseado na comparação entre a previsão e as vendas reais. O exemplo suavizado no gráfico correto, adota uma abordagem muito mais simples, removendo o ruído por meio da previsão.

Esse método usa valores de histórico normalizados comparados aos valores do histórico real como a base para determinar o estoque de segurança. Cada ponto de dados no gráfico é uma observação real obtida das rodadas de simulações durante 12 meses.

 

Efeito Chicote Na Cadeia De Suprimentos Grf1Efeito Chicote Na Cadeia De Suprimentos Grf2

Ao comparar as figuras 1 e 2 acima, torna-se evidente que uma previsão que muda dinamicamente, demanda esporádica e o método errado para determinar o estoque de segurança podem aumentar substancialmente o estoque. A observação mostra um acúmulo de estoque, possivelmente devido a mudanças não triviais entre as vendas reais e a previsão; enquanto que a previsão mais suave resultou em muito menos estoque de segurança quando o ruído foi removido usando um modelo de previsão diferente. Como observado aqui, quando a demanda se torna mais variável, criar uma previsão que persiga a demanda (com o objetivo de ser mais preciso) pode, na verdade, resultar em um estoque de segurança mais alto.

Alguns métodos de previsão podem produzir variações violentas que são difíceis de usar no planejamento. Muitas empresas podem ter sido tentadas pelos fornecedores de software a aproveitar o poder da computação para selecionar automaticamente um novo modelo de previsão a cada mês. No entanto, uma técnica de “melhor ajuste” pode de fato produzir um sinal de demanda mais nervoso e muito tenso que resulta em um estoque de segurança mais alto do que uma previsão suavizada faria. No exemplo acima, para fins de planejamento de suprimento, parece que uma previsão que persegue a demanda é tão útil quanto estimar os movimentos aleatórios de ratos em um labirinto.

Essas observações de previsão levantam questões adicionais. Como a previsão impactaria o planejamento da oferta? Usar um sinal nervoso de demanda para planejar reabastecimentos criaria dificuldades para os fornecedores em atingir as expectativas de entrega no prazo? Se o fornecedor não conseguisse aumentar a capacidade ao mesmo tempo, os requisitos de mudança descontrolada resultariam em remessas atrasadas?

Os planejadores precisariam, então, transportar estoque de segurança adicional para compensar a falta de confiabilidade do fornecedor? Para efeito de simplificação na simulação de diferentes cenários, usamos as informações de previsão e estoque de segurança para determinar um plano de fornecimento teórico.

Nos exemplos a seguir (figuras 3 e 4), as mesmas posições de estoque foram usadas como posição inicial e uma taxa de preenchimento direcionada de 98% foi usada para determinar o estoque de segurança. Usando os 12 meses de observações de previsão criados anteriormente, simulamos o plano de fornecimento resultante para os dois métodos.

Usando o exemplo acima, ambos passaram por duas saídas de estoque ao mesmo tempo. No entanto, os níveis de estoque foram maiores no gráfico à esquerda, e as compras foram muito mais erráticas também.

Efeito Chicote Na Cadeia De Suprimentos Grf3Efeito Chicote Na Cadeia De Suprimentos Grf4

Como os dados foram executados em uma simulação, não conseguimos incluir nenhuma observação de desempenho do fornecedor; no entanto, é seguro assumir que os requisitos de preenchimento gerados pelo plano à esquerda seriam muito mais difíceis.

Prever a demanda por seus produtos pode ser uma tarefa trabalhosa. A seleção de quais modelos de previsão se ajustam a um determinado perfil de demanda pode exigir inteligência e conhecimento quase científicos para serem executados. Uma abordagem mais organizada poderia ser para classificar a demanda por suas características e planejar o inventário usando estratégias lógicas condizentes. Esse processo é chamado de classificação de demanda e melhorou visivelmente a eficiência do planejamento em muitas empresas.

A classificação de demanda sistematicamente e cientificamente discrimina itens usando técnicas estatísticas que produzem grupos de demanda inteligentes. Então, os parâmetros de previsão e planejamento mais adequados podem ser aplicados automaticamente. Essa metodologia é usada no software Slim4 da Slimstock, o qual considera holisticamente um plano de fornecimento equilibrado, além de fornecer indicadores de aviso antecipado quando a demanda muda.

Os resultados típicos são:

  • Maior eficiência de planejamento, permitindo atividades analíticas priorizadas
  • Mais tempo gasto na identificação de exceções de inventário e gerenciamento eficaz do capital de giro
  • Maior disponibilidade de produtos e menor excesso de estoque
  • Maior eficiência de planejamento e redução do estresse sobre o gerenciamento de parâmetros complexos de previsão

Toda empresa gerencia produtos que são novos, maduros e em declínio. Em um nível mais detalhado, esses produtos também poderiam ser estocados ou não estocados. Outras observações podem revelar demanda sazonal, tendência, alto ou baixo volume, estável ou irregular, ou mesmo rápida ou lenta. De fato, o número de maneiras pelas quais a demanda pode ser classificada é grande, e decidir qual conjunto de parâmetros de previsão a ser aplicado, que produzem os melhores resultados, pode muitas vezes ser assustador.

Nem todas as previsões são criadas iguais ou servem ao mesmo propósito. Nas operações, as perdas surgem de execuções de produção ineficientes e do custo do transporte para compensar uma queda no estoque. As perdas também podem resultar do desconto ou do descarte de estoques excessivos e obsoletos. Além disso, os custos de manutenção de estoques podem contribuir com até 30% do custo operacional.

Usar a previsão errada como base para o estoque de segurança e o planejamento de fornecimento pode comprometer desnecessariamente o desempenho de sua empresa. Na Slimstock, nosso software é projetado em torno da ciência e da arte da classificação de demanda e da otimização da cadeia de suprimentos para que sua empresa possa ter um plano melhor de forma consistente.

 

Fale com um especialista e veja como superar os desafios de estoque

especialista-planejamento-de-demanda-gestao-de-estoque

Luis Talib

Call_icon mail_icon LinkedIn_icon