A chave para uma cauda longa eficiente

Da cauda longa a uma máquina bem azeitada

Desde mínimos desgastes até grandes avarias, cada um dos mais de 44 milhões de veículos no Brasil leva uma vida de aventuras.  A condição das vias nas ruas e estradas brasileiras é, sem dúvidas, um dos fatores que faz com que as manutenções ocorram com maior freqüência a fim de garantir a segurança de todos. Para prolongar a vida útil desses veículos, o Brasil possui uma indústria de autopeças muito bem desenvolvida em comparação com seus vizinhos na América do Sul. O país gasta mais de R$ 9 bilhões por ano em peças e componentes automotivos, e as empresas que operam nesse setor enfrentam uma pressão crescente dos consumidores para entregar mercadorias o mais rápido possível, bem como a concorrência acirrada de outras organizações. Sim, como já bem sabemos o bordão: brasileiro é apaixonado por carros. Dado que as empresas devem armazenar milhares de itens, administrar a cauda longa do automóvel pode ser uma tarefa assustadora.

Em busca de um único ponto de venda, muitas empresas desenvolveram extensos sortimentos que abrangem muitos milhares de SKUs. Embora essa abordagem permita que as empresas ofereçam aos clientes uma enorme quantidade de opções, o gerenciamento de um número tão grande de itens traz consigo a sua própria gama de desafios.

Quando você considera que 80% do volume de negócios de uma empresa é normalmente gerado por apenas 20% do sortimento, ao manter sortimentos tão grandes, muitas empresas automotivas investem uma quantidade enorme de recursos para gerenciar literalmente milhares de itens que oferecem valor limitado ao negócio termos de lucro, mas grande valor para o cliente final. Com isso em mente, o que as empresas podem fazer para maximizar o valor de sua cauda longa automotiva sem comprometer sua capacidade de atender às necessidades de seus clientes?

REFINAMENTO É TUDO!

Alcançar um sortimento bem refinado é muito mais do que simplesmente focar toda a sua atenção em garantir que as linhas de melhor desempenho sejam gerenciadas da maneira mais eficaz possível. Para maximizar a lucratividade do sortimento, as decisões de estoque não devem ser tomadas de ânimo leve, especialmente quando se trata de itens de cauda longa automotivos.

No entanto, a menos que você tenha uma compreensão completa de seu sortimento, como você pode ter certeza de que está tomando as decisões corretas de inventário? Afinal de contas, embora uma linha em movimento lento possa parecer um dispendioso espaço no seu CD, para alguns clientes, esses itens podem ser a única razão pela qual compram da sua empresa. Da mesma forma, se um item oferece apenas um retorno mínimo em termos de benefício ou lucro do cliente, vale a pena investir tempo e dinheiro garantindo que esse item esteja sempre disponível?

O gerenciamento de itens de cauda longa automotiva é um delicado equilíbrio entre os níveis de serviço e o controle do estoque em estoque. Para gerenciar esses itens com eficácia, é importante que as empresas tenham visibilidade clara sobre como cada item contribui para as metas corporativas gerais: por meio da categorização de itens, dependendo de sua importância estratégica para sua empresa, você pode começar a adotar uma abordagem mais personalizada para gerenciar a cauda longa.

DEFINIDO A CAUDA LONGA AUTOMOTVIDA

Para muitas empresas, pode não estar claro exatamente quais itens fazem parte da cauda longa. No entanto, uma análise ABC bem estruturada pode fornecer a percepção necessária para identificar grupos de produtos claros. Enquanto o processo de conduzir uma análise ABC permite que você obtenha uma maior compreensão do sortimento, é essencial que os parâmetros da análise estejam bem alinhados com os objetivos gerais da empresa. Afinal, se o seu negócio é focado na satisfação do cliente, categorizar os itens apenas pela margem não ajudará muito a empresa a atingir suas metas. O modo como você define os limites dentro do seu sortimento dependerá muito dos KPIs mais importantes para o seu negócio.

Essencialmente, existem dois objetivos principais que determinam os KPIs: por um lado, o foco pode estar nas margens de lucro de um item ou no volume de negócios. Alternativamente, no entanto, os elementos financeiros podem ser colocados de lado e a satisfação do cliente na forma de linhas de pedido ou transações pode ser usada como a base sobre a qual construir KPIs.

REMOÇÃO DO ESPINHO

Dos níveis de serviço às decisões de lotação, os insights fornecidos pela análise ABC devem ser usados ​​como uma força motriz para moldar o sortimento e ajudar a tomar decisões informadas. As 3 etapas a seguir podem ser adotadas hoje para ajudar a reduzir os níveis de estoque, melhorar o fluxo de caixa e ajudar a maximizar a lucratividade de sua longa cauda.

Decisões de estoque

É provável que haja um número de itens de cauda longa que não vale a pena estocar, pois tais itens simplesmente não oferecem uma margem suficientemente significativa para justificar o investimento em estoque. No entanto, ao não estocar esses itens, isso pode afastar os clientes da compra de itens com margens muito maiores. Por exemplo, embora não seja provável que as porcas e parafusos ofereçam grandes margens, ninguém comprará componentes mais caros se não puder obter todos os componentes que a acompanham. Além disso, também pode haver um número de itens que atualmente não são estocados, o que seria realmente melhor manter o estoque sempre. Isso é particularmente verdadeiro para itens em que há um lead time demorado ou um nível baixo de confiabilidade do fornecedor.

Para tomar as decisões corretas de estoque, as empresas devem basear sua decisão em uma ampla gama de métricas. Por exemplo: quanta margem oferece um produto? O produto tem um impacto importante nas vendas de outros itens? Quanta pisada o item cria? Existe um produto alternativo que possa ser vendido em vez disso? O produto tem um impacto político nas relações com fornecedores? O produto é importante para os principais clientes?

Através da utilização das informações de uma análise ABC para decidir se deve ou não alterar o status de estoque de um item, você pode aumentar a satisfação do cliente, garantindo que os itens mais importantes estejam prontamente disponíveis. Da mesma forma, usando essas informações para refinar seu sortimento, você pode remover itens que não contribuem para atingir as metas de negócios gerais. Isso, por sua vez, pode ajudar a liberar o capital de giro, que pode ser reinvestido em outras partes do negócio.

Reavaliar as regras de estoque

Dado que muitos itens de cauda longa automotivos provavelmente têm padrões de demanda voláteis, pode ser muito difícil determinar exatamente quanto estoque deve ser mantido. Dado que o nível de estoque de segurança será diferente, dependendo da importância de cada item, é inevitável que os itens da linha A provavelmente tenham uma maior exigência de estoque de segurança, já que a falta de estoque pode custar caro à empresa. No entanto, para itens de cauda longa automotivos determinar o estoque de segurança pode ser um pouco mais desafiador.

Por um lado, a detenção de estoques de segurança excessivos poderia significar a necessidade de amarrar desnecessariamente o capital de giro em ações lentas, o que está sempre em risco de se tornar obsoleto. No entanto, por outro lado, níveis de estoques insuficientes podem dificultar as vendas e deixar os clientes decepcionados. A fim de garantir que os níveis de estoque sejam apropriados, há uma série de fatores que devem ser levados em consideração.

Priorizar áreas que requerem maior atenção

A verdadeira vantagem de uma análise ABC bem desenvolvida é que os resultados permitem priorizar as áreas que exigem mais atenção. Com uma visão clara de quais itens têm o maior impacto em sua capacidade de atingir suas metas estratégicas, você pode começar a concentrar as ações em áreas que proporcionarão o maior benefício. Por exemplo, para otimizar itens de cauda longa, isso pode representar uma oportunidade para renegociar quantidades mínimas de pedidos e prazos de entrega ou até mesmo encontrar fornecedores totalmente novos.

Através da revisão de cada categoria que surge como resultado da análise ABC, você pode obter uma visão mais clara do desempenho do seu sortimento. Consequentemente, essa abordagem permite que você gaste mais tempo investigando possíveis áreas com problemas na cauda longa, ajudando a garantir que a variedade seja a mais refinada possível.

ACELERE O DESEMPENHO DO SORTIMENTO

Para qualquer negócio, o desenvolvimento de um grande sortimento com grande amplitude e profundidade pode criar uma enorme quantidade de valor, permitindo-lhes satisfazer as necessidades de seus clientes. No entanto, a menos que seja gerenciado de forma eficaz, a cauda longa automotiva pode ser um enorme dreno de recursos. A fim de oferecer aos clientes a escolha e disponibilidade que exigem, mantendo o investimento em estoque sob controle, as empresas devem tomar medidas para garantir que sua política de estoque esteja bem alinhada com as expectativas do cliente, as decisões de estoque estejam bem informadas e oportunidades para melhorar o desempenho. o sortimento é priorizado para ser totalmente explorado.

Casos de sucesso do Slim4 na indústria automobilística ao redor do mundo

Brochura com casos de sucesso ao redor do mundo  >>

Na Slimstock, analisamos mais de 100 cadeia de suprimentos por ano. Com base na combinação única de nosso conhecimento, experiência, e ferramentas, podemos rapidamente ver o que é possível e o que deve ser feito. Mesmo antes dos dados mostrarem. Nós chamamos de Supply Chain Physics. Com esse recurso exclusivo, podemos auxiliar sua empresa a criar um roteiro de prioridades: um mapa que faça seu trabalho valer a pena.

Desde 1993, a Slimstock tem sido sinônimo da melhor previsão de demanda, da mais eficiente gestão de estoque, de uma clara análise de estoque e de um estoque confiável. Temos mais de 800 clientes em todo o mundo que incluem grandes, médias e pequenas empresas.

 


Veja as soluções que a Slimstock tem à disposição da sua empresa para controle e otimização de estoques.

 

SHARE: